16/ago

IMPOSTO

Essa palavra já dá gelo na espinha e gera reações em todos. Não há quem goste de pagar ou calcular qualquer imposto e é muito comum que um dos argumentos que se ouve como vantagem em se morar em Contagem é a ausência da cobrança de IPTU para a maioria das moradias, ou seja, a maioria da população de Contagem está livre de um dos vários tipos de impostos.

O que ocorre é que diante de tanto repúdio as pessoas se afastam do conhecimento e da discussão sobre o único custo que ninguém controla, que é o custo tributário. Não é possível economizar em tributos, pois tributos são obrigatórios. Você consegue economizar em água, energia, compras, mas, quando se trata de tributos, ou se planeja antes da geração do tributo (por exemplo, pedindo um recibo médico para abater no imposto de renda) ou não há outra solução a não ser pagar o tributo ou, nos casos em que há alguma ilegalidade na sua cobrança, “brigar” contra ele.

Assim, já que falar sobre isso incomoda a todos, o Governo se aproveita e utiliza com muita facilidade de meios disfarçados para cobrá-los e nos passar a sensação de que pobres pagam poucos tributos ou ainda, que quem paga tributo são só as “empresas”.

Um ponto importante é que os impostos são apenas uma das espécies de tributos… Assim, é errado dizer “os impostos” quando na verdade estamos nos referindo à carga tributária. O próprio nome da carga já ajuda a entender – não falamos de carga “impostária” por que os tributos são muito mais que os impostos… Talvez por isso boa parte de nós não faça a menor idéia da existência de outros tributos, portanto, obrigatórios sobre tudo que se compra!

Reclamamos de pagarmos cerca de 4% do valor dos veículos referente ao IPVA, mas, você sabia que na média, em cada produto que você compra você paga cerca de 30% de tributos? Não importa se você possui um gordo salário de jogador de futebol ou se sobrevive de uma pequena ajuda do bolsa família, tudo que você compra possui tributos embutidos no preço que fazem com que os governos encham seus cofres explorando nossas necessidades básicas e até a mais absoluta pobreza.

Como mudar isso?

A primeira coisa que precisamos é passarmos a discutir sobre o assunto e verificarmos em cada compra o que pagamos, em cada nota fiscal, em cada cupom fiscal, em cada conta de água e esgoto ou de energia elétrica. Observe, entenda e critique!

É obrigatório por lei que em cada comprovante de compra esteja escrito quanto de tributo está diretamente incluído no preço. Aproveitando deste importante veículo de comunicação que é o Jornal O Tempo, em breve divulgaremos aqui meios de verificar a carga tributária e para onde vai seu suado dinheiro.

Escrito por: admin